quinta-feira, agosto 30, 2012

A G(r)UTINHA DO U(r) SINHO



Gritos estridentes ecoam num crivo de mil fendas
O ursinho já não dorme...

As estações mudaram
A Primavera desponta todos os dias em cada flor
O Inverno é ameno e doce
O Outono acorda em cada árvore o ano inteiro
O Verão abrasa e queima

O ursinho já não hiberna...
Gritos estridentes ecoam

O Pai urso há muito que partiu em busca de alimento e nunca mais voltou
A Mãe ursa há tempo que saiu para procurar sustento e ainda não regressou

O ursinho já não come...
Gritos estridentes ecoam

3 Comments:

Blogger HAZEL said...

Já tinha saudades dos teus posts! :)
Muito grata por esta partilha.

30 agosto, 2012 12:48  
Blogger Titania said...

Hazel, és uma querida! A inspiração tem andado para lá das montanhas, onde o sol nasce sorrindo para depois ir morrer no mar...

31 agosto, 2012 08:45  
Blogger roffe said...

Hello and thanks for your visit and comments.Best wishes from Norway..

26 abril, 2013 17:34  

Enviar um comentário

<< Home


Druidess Druid