segunda-feira, dezembro 05, 2005

VENTO

Vento que nos fazes estremecer
Numa pincelada inacabada
Vivendo nas margens da Vida
Na busca de sermos completos.

Como o ar que respiramos e não vemos
Como o Sol que sentimos sem chegar
Como o Mar que olhamos sem alcançar
Como as palavras que lemos e não tocamos...

Vento forte não nos arrastes
Não nos leves a ilusão
Ao tornares o Longe perto
Vais tornar o Perto longe...


6 Comments:

Blogger MacLord said...

Vento, sopro sagrado dos Deuses
Bafo de Vida e do Sol
Vento que percorre o Mundo sem Parar
Levando as vozes dos que um dia falaram
levando a chave de tornar os pensamentos em Verdades
e as verdades em Realidades.
Sopra Vento, Sopra Sem Parar.

BB
)O(

05 dezembro, 2005 17:15  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

“Murmúrios ao vento”

Murmúrios de tristeza
Invadem o pensamento
Com a mente em incerteza
Murmúrios ao vento...

Liberta a minha mente
deste estranho sentimento
Transporta nas tuas asas
Sopra para longe ó vento

Atravessa a noite
Leva no teu sopro
Tristezas da minha mente
Murmúrios ao vento...

Transporta nas tuas asas
Por entre a escuridão
Sopra para longe ó vento
Tristezas do coração...


Escrito por ≈©≈Ňąd¡®≈©≈em 29-07-2005

07 dezembro, 2005 01:13  
Blogger Michael de`Oz said...

Very impressive blog!

07 dezembro, 2005 15:37  
Anonymous Anónimo said...

Hola! Looks good! czar

10 dezembro, 2005 11:20  
Blogger ¦☆¦Jøhη¦☆¦ said...

Gosto muito de escritos dedicados a forças da natureza... o vento segundo os meteorologistas significa mudança de tempo, ou algo parecido, creio que aqui neste poema é descrito como factor de mudança da vida...

Gostei de ler! ;) João.

12 dezembro, 2005 23:44  
Anonymous mfn said...

Olá Titanicamente!

Gostei muito deste teu vento…
Pois adoro senti-lo quando me toca a favor. Ajuda-me a continuar o propósito da minha caminhada. Mas neste mesmo vento, ele me fascina quando contra mim bate, traz-me o lugar para a reflexão, o desafio novo que não espero e, uma maior vontade de sentir o gosto da alegria e da vitória conseguida.
O vento é sem dúvida alguma, uma força que nos activa o espírito e a alma. Não o vemos, não o tocamos nem cheiramos, mas, sentimos a sua incomparável força. Que nos poderá ser mais agradável ou não, dependendo do lado em que nos encontramos no preciso “momento”.
Vento, precisamos sempre dele… até aqui neste teu magnifico lugar de encontros e reencontros.

Um bj,
Manuel

31 dezembro, 2005 19:25  

Enviar um comentário

<< Home


Druidess Druid